O balanço positivo nos faz engordar

4a1d1294c87f72c7af21b314df94a14e
A repetição transforma bobagens em certezas, e vamos engolindo coisas que engordam, achando que emagrecem. Tornamo-nos seres fisicamente inúteis, muito próximos de invalidez. O ruim é que nossa fome é ancestral. As comodidades da civilização nos fizeram pessoas que se deslocam sentadas, apertam botões e mal andam dentro de casa ou no trabalho, gastando um mínimo de energia. O resultado é uma sobra nas calorias ingeridas via alimentos. O balanço positivo nos faz engordar, especialmente na região abdominal. 

Quando numa caixa d’água, a mesma quantidade de água que entra é a mesma que sai, o nível da água se mantém constante. Esta é a base do peso estável, uma arte que pode ser aprendida e mantida, geralmente a duras penas. Para emagrecer é preciso estabelecer um balanço negativo, com uma saída maior que a entrada, no exemplo dado, o da água. É necessário alimentar-se de maneira diferente do que se está fazendo, caso se queira obter outro resultado. 

Devem-se priorizar alimentos naturais, não processados, não industrializados nem empacotados. Trocar alimentos com mais gorduras por outros com menos gordura, reduzir os volumes nas 24 horas e dividir as calorias em três refeições principais e três lanches, sem acrescentar nada. Deve-se procurar usar adoçante, tirando o açúcar e assemelhados, e ter uma vida mais ativa em ações não programadas (andar umas quadras, subir escadas), e programadas (caminhadas, ginástica, corrida, dança, musculação, bicicleta e outras). O melhor exercício é aquele que vai ser feito. Conheça Q 48 .É bom fazer um rodízio para não enjoar.

Alimentos diet (não têm um ingrediente para favorecer o portador de alguma doença), ou light (tem 25% a menos de calorias) podem ser usados, mas pouco contribuem no emagrecimento, quando em quantidades inadequadas. Um estudo mostrou ratos que engordaram usando adoçante. De fato, o poder de saciar que o açúcar tem pode explicar uma maior quantidade de comida ingerida pelos ratos gordos. 

Dormir bem ajuda a emagrecer, pois o stress de não dormir estimula a produção de cortisol, um corticóide, hormônio que engorda. Os carboidratos (massas) são a base de toda refeição (60%) e não podem ser suprimidos. Trocar os processados por integrais, porém sem exagero, e ingerir bastante água para as fibras serem eficazes.

Não existe alimento que emagreça. Na lista dos que querem ter esse efeito estão citados água gelada, gelo, suco de limão, chá verde, abacaxi, alho e outros chamados termogênicos. A quantidade requerida, no caso do chá verde (1 l, e apenas o feito em casa), é grande e o efeito muito pequeno. Usar alimentos gelados, em tese gastaria calorias do corpo para os aquecer, mas não parece uma boa estratégia.

A pílula anticoncepcional por si só não engorda, embora a progesterona, um dos componentes tenha um efeito corticóide que faz inchar. No entanto, na prática tenho visto com grande frequência o efeito engordativo desses remédios, especialmente as injeções trimestrais.

O uso de sopas e de shakes podem saciar temporariamente, mas mastigar e comer lentamente desperta melhor a saciedade. Além disso, a relação do ser humano com os alimentos é mais do que apenas engolir, assim ver, pegar, mastigar faz parte do jogo. Escovar os dentes logo após comer também ajuda na vinda da saciedade, que demora 15 minutos para ocorrer.

Mesmo que se fale que curtas caminhadas não emagrecem, estar ativo é melhor que inativo. Consta que exercícios na parte da tarde para a noiter queimam mais calorias. Algum gasto calórico extra, porém desprezível, poderá acontecer. Quanto ao horário em que se come, pouco importa. À noite o metabolismo é mais lento, mas, o importante é comer a quantidade programada, e isso sim, é primordial para emagrecer. O sistema desconhece a hora do dia. Achar que comer à noite engorda mais do que de dia desperta muito a vontade de comer, e até levantar-se de madrugada para visitar a geladeira, comportamentos que precisam ser modificados.

Água em quantidade moderada ou suco não açucarado não engorda durante as refeições, mas de um modo geral faz comer mais. É um tema ainda não totalmente definido. Há estudos mostrando que tomar um copo de água antes das principais refeições emagrece. É melhor ir com calma.

Comer algo leve (fruta, hortaliça em mínimas quantidades) até chegar a hora da refeição pode salvar a lavoura, assim como comer algo como uma xícara de mingau de aveia sem açúcar antes de uma ceia poderá ajudar a se conter, quando algo delicioso chegar, provando apenas, sem extrapolar demais.
Dietas da moda emagrecem a curto prazo, e podem ser tentadas, mas por serem radicais levam a perda de músculo, a massa magra, e com isso o efeito sanfona ou ioiô poderá ser mais marcante. A acupuntura auricular é ineficaz.

Do mesmo jeito que ninguém engorda sem comer, não se emagrece sem sacrifício (leia-se fome). Lá é diferente, mas fora da televisão é preciso ter fome (não é jejum) para se obter um bom resultado. Ficar longe dos alimentos mais engordativos pode ser bom, porém é conveniente não entrar no jogo do tudo ou nada. É preciso deixar claro que 8 ou 80 não ajudam. 

Comer algo não programado em quantidade moderada não significa que se colocou tudo a perder. Não, não e não! É você quem conduz seu tratamento. O médico incentiva cobra e renova o compromisso a cada dia, evitando, contudo os JULGAMENTOS. E por último e o mais importante, abaixo o sentimento de culpa, e principalmente a cantilena de que se engorda por ansiedade (assim nomeado qualquer sentimento mau). Essa é a maior mentira que já inventaram.